terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Versão feminina e não-drogada de Kurt Cobain

    Olá meninas! Como estão? Passei os últimos três dias lendo a biografia do Kurt Cobain, "Mais pesado que o céu", é aquele tipo de livro que você só quer ler cada vez mais, mas fui com calma pois não queria chegar no final nunca, ainda mais que eu uso livros como minha droga para fugir do mundo, e esse ano já li todos que estavam sobrando em casa, e esse foi o que peguei emprestado com meu namorado. Enfim, acabaram-se as drogas, que venha a vida real. Oh Fuck.
    Não havia nem um minuto que eu havia terminado de ler o livro, ter feito toda aquela reflexão que o que levou o Kurt a ser um viciado em drogas pesadas e suicida foi o seu perfeccionismo, eterna insatisfação e as horríveis dores de estômago, me pego olhando para as minhas pernas que atualmente estão com aproximadamente 33cm, fazendo com que meus joelhos doam quando vou dormir virada de lado.
    Foi necessário ler mais de 400 páginas sobre a vida de uma pessoa que estava sempre insatisfeita consigo mesma e que se odiava mais que odiava a qualquer outra pessoa para eu perceber que eu era, no geral, uma versão feminina e não-drogada do Kurt Cobain. E eu não quero morrer sozinha em uma estufa com um tiro na cabeça.
    Uma coisa que o livro destaca é a diferença entre Kurt Cobain, o menino que parou de fumar maconha e beber por causa do medo de piorar sua saúde e poder se dedicar totalmente a formação do seu maior sonho, ter uma banda, e Kurdt Kobain, o nome grafado errado propositalmente por Kurt para criar seu alter ego que se tornou o astro de rock famoso drogado que não se importava em ameaçar demitir seus amigos de banda quando eles descordavam do "rei" Kurdt, que se tornou "rei" por acaso, apenas pelo seu grandioso talento, e não pelo seu talento e insistência em ser notado e melhorar cada vez mais no que fazia.
    Eu quero ser inspirada pelo Kurt Cobain, e não pelo Kurtd Kobain. Eu quero ir atrás dos meus sonhos sem me destruir, eu quero estar preparada e feliz com o que for o meu futuro. Eu quero um futuro feliz, sem a eterna insatisfação,sem a depressão, esquecer o ódio que tenho de mim.

    Eu quero ser uma versão feminina e não-drogada de Kurt Cobain, eu vou deixar de ser uma Kurdt Kobain da vida.

    Sim, eu sou viciada em livros. Sim, eu sou viciada no Kurt. Sim, me desculpem por esse post completamente viciado em livros, Kurt, análise psicológica e meio sem sentido. Vou voltar a ser mais presente no blog de vocês <3

xoxo.

6 comentários:

  1. Oi, Gabriele ♥
    Esse livro é maravilhoso! Li ele quando tinha 14 anos (e foi uma das minhas artimanhas para fugir da realidade também), eu era absolutamente obcecada pelo Nirvana e pelo Kurt Cobain. Hoje já não tenho o mesmo sentimento que tinha na adolescência, mas a história do Kurt me tocou e marcou para sempre, ele era uma pessoa extremamente sensível com um enorme potencial, mas se perdeu na depressão e como você disse, no ódio que sentia por si mesmo.
    Acho incrível que você tenha conseguido ler e separar as coisas boas e as ruins, tirando inspiração disso.
    Eu acredito que desejar seja 50% do que é necessário para se conquistar algo. E se você deseja um futuro feliz, sem todos os fantasmas e a insatisfação, então você o terá ♥

    ResponderExcluir
  2. Oi flor!
    Que legal vou ler esse livro!
    Na época que estava internada eu li Garotas de vidro, o final me surpreendeu e eu também tive o mesmo pensamento: "nao quero acabar sozinha e morta." Ler traz muitas emoções, você se sente na pele do autor.. Atualmente estou lendo 'Antes de dizer Adeus'. Conta a historia de uma mulher que tem uma vida maravilhosa mas foi diagnosticada com ELA (uma doença degenerativa irreversível) e ela resolve aproveitar os seus últimos meses de vida da melhor forma possível.
    Eu uso diariamente maconha, comecei usar a conselho do meu psiquiatra, só assim eu conseguia comer. Hoje em dia eu ainda sinto fome quando fumo, mas já consigo controlar. Eu uso a noite antes de dormir pra relaxar, mas é complicado, tem que ter muita consciência pra usar alguma droga, pois muitos não querem parar só na cannabis, e pode ser um caminho sem volta. Eu não bebo nem alcool, só socializei mesmo com a mari s2 asuhasuhausa.

    Fica bem! s2

    ResponderExcluir
  3. Posso te dar um abraço?!
    Estou viciada no seu blog, e olha que o estou conhecendo agora, mais quando a escrita é boa, não precisa muito para se apaixonar.
    Você é uma garota inteligentíssima! Obrigada por seu comentário lá no meu canto.

    Abraço querida!

    ResponderExcluir
  4. Esqueci de mencionar que escuto bastante Nirvana, não me considero fã. Mais admiro a pessoa do Kurt, a musica Lithium é uma das minhas favoritas porque realmente tem um significado profundo sobre os problemas psicológicos que ele sofria.

    ResponderExcluir
  5. esse desejo de ser algo melhor é a verdadeira inspiração, e ela pode vir de livros sim, por isso nos deixam viciadinhas hahha gostaria de ler esse livro, adoro quando o livro nos deixa alguma coisa pra pensar, muito além de mera diversão. <3

    ResponderExcluir
  6. Torço por ti.
    Eu comecei a ler esse livro, mas fui alertada por não lembro quem que isso poderia me afetar para a pior, e fui sentindo isso ao longo do livro.

    Obrigada pelas palavras lá no meu canto.
    Abraços!

    ResponderExcluir